Zapping
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Notícias RTP

2 participantes
Ir para baixo
LFTV
LFTV
Nível 2
Mensagens : 6499
Pontos : 6583
Data de inscrição : 23/03/2013
https://novelassic.blogs.sapo.pt/

Notícias RTP Empty Notícias RTP

Dom Abr 11, 2021 4:32 pm
A TV 7 Dias pediu aos diretores dos 3 canais de televisão para fazerem uma reflexão sobre o momento atual que a televisão atravessa. O José Fragoso, da RTP1, disse:

Não existem dúvidas que os canais generalistas estão de “boa saúde e recomendam-se”. Contudo, salienta que a SIC e a TVI são estações diferentes da RTP1.

“Essas diferenças manifestam-se no rigor da informação, na atenção à diversidade de programas, no investimento em ficção portuguesa de qualidade, na produção regular de documentários nacionais e no grande entretenimento familiar focado no talento dos portugueses”, afirma.

Segundo José Fragoso, o maior desafio é garantir uma programação diferenciada e inovadora e não tem dúvidas que a televisão esta numa fase de grande desenvolvimento.

Fonte: aTV

falcao gosta desta mensagem

LFTV
LFTV
Nível 2
Mensagens : 6499
Pontos : 6583
Data de inscrição : 23/03/2013
https://novelassic.blogs.sapo.pt/

Notícias RTP Empty Re: Notícias RTP

Sex Abr 16, 2021 2:31 pm
RTP. Faz sentido um serviço público sem público?

https://espalhafactos.com/2021/04/16/rtp-faz-sentido-um-servico-publico-sem-publico/

falcao gosta desta mensagem

LFTV
LFTV
Nível 2
Mensagens : 6499
Pontos : 6583
Data de inscrição : 23/03/2013
https://novelassic.blogs.sapo.pt/

Notícias RTP Empty Re: Notícias RTP

Ter Maio 04, 2021 7:05 pm

Proposta do Governo de Revisão do Contrato de Concessão do Serviço Público de Rádio e de Televisão

https://media.rtp.pt/empresa/wp-content/uploads/sites/31/2021/05/Proposta-do-Governo-de-Revisao-do-CCSP.pdf

falcao gosta desta mensagem

LFTV
LFTV
Nível 2
Mensagens : 6499
Pontos : 6583
Data de inscrição : 23/03/2013
https://novelassic.blogs.sapo.pt/

Notícias RTP Empty Re: Notícias RTP

Ter Jul 13, 2021 5:08 pm
ERC abre processo de contraordenação contra a RTP
Entidade Reguladora para a Comunicação Social abriu um processo contraordenacional contra o operador de televisão pública por este não ter garantido, pelo quarto ano consecutivo, as quotas de programas em língua portuguesa e de obras criativas nacionais na RTP 2.

[Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]
A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) abriu um processo de contraordenação contra a RTP, porque a estação pública não garante as quota de programa em língua portuguesa, nem de obras criativas, na RTP 2 desde 2017, foi esta terça-feira anunciado.

A decisão da ERC foi tomada no âmbito do relatório “Produção Audiovisual nos Serviços de Programas Televisivos em 2020”, divulgado esta terça-feira e que reúne informação sobre o modo como os serviços de programas dos operadores de televisão portugueses cumprem as obrigações de defesa da língua portuguesa, produção europeia e produção independente.

De acordo com a Lei da Televisão e dos Serviços Audiovisuais a Pedido (LTSAP), as televisões nacionais têm de respeitar critérios que pressupõem a defesa da língua portuguesa, a promoção de produção europeia e produção independente. Por exemplo, a LTSAP que “[o]s serviços de programas televisivos de cobertura nacional, com exceção daqueles cuja natureza e temática a tal se opuserem, devem dedicar pelo menos 50% das suas emissões, com exclusão do tempo consagrado à publicidade, televenda e teletexto, à difusão de programas originariamente em língua portuguesa”. Acresce a obrigação de, pelo menos, 20% “do tempo das suas emissões” ser dedicado à “difusão de obras criativas de produção originariamente em língua portuguesa”.

Ora, de acordo com a ERC, a RTP não respeita os critérios há quatro anos consecutivos no chamado canal 2. Por isso, o regulador dos media fez saber que se tem verificado, “desde 2017, irregularidades no cumprimento das obrigações constantes no serviço de programas RTP 2”.

A ERC alega que avisou a RTP para a necessidade de cumprir os critérios exigidos por lei. Mas, tendo em conta o desrespeito das quotas de programas em língua portuguesa e de obras criativas, o Conselho Regulador da ERC deliberou notificar a RTP, “com fundamento no incumprimento das percentagens dedicadas à difusão de programas originariamente em língua portuguesa e de obras criativas originariamente em língua portuguesa, relativamente à emissão do ano de 2020 [o último em análise], no serviço de programas RTP 2”.

Produção Audiovisual nos Serviços de Programas Televisivos: dados de 2020 aproximam-se dos níveis de 2019

A decisão regulatória sobre a RTP foi tomada com base no estudo “Produção Audiovisual nos Serviços de Programas Televisivos em 2020”, que, não obstante, conclui que os dados apurados em 2020 confirmam a “tendência de cumprimentos da exibição de programas originariamente em língua portuguesa”. A conclusão de 2020 “aproximou-se à registada em 2019”.

Nos serviços de programas temáticos da SIC, a ERC “observou descidas de produção originariamente em língua portuguesa, sendo as mais relevantes na SIC Mulher e na SIC K, aquém da quota mínima”. Nos demais serviços de programas “continuam a registar-se percentagens bastante baixas nos serviços de programas temáticos de cinema e infantis/juvenis, os quais baixaram a quota de programas em língua portuguesa, à exceção do Biggs, que subiu o percentual, ainda assim ficando aquém da quota prevista”.

Segundo a ERC, são os canais onde a temática central são cinema e séries que “continuam a revelar percentuais residuais e sem grandes oscilações face a 2019”.

O regulador nota, contudo, que o serviço de programas generalista CMTV, com 32,28%, “ultrapassou a quota mínima de obras criativas em língua portuguesa, o que acontece pela primeira vez desde o início da atividade”.

No último ano, dos 47 serviços de programas avaliados 33 “incorporaram uma percentagem maioritária de obras de produção europeia”, com a ERC a salientar que os “restantes não atingiram esta percentagem, em grande parte, pela natureza específica dos serviços temáticos”.

“O mesmo se aplica nas obrigações de produção independe recente, cuja quota de 10 %, não é alcançada em 21 serviços de programas, nomeadamente os temáticos de cinema e séries, dada a programação ser predominantemente de origem norte-americana”, lê-se.

O regulador dos media destaca também a “inexistência de programação de produção europeia independente nos serviços de programas, SPORT TV+, Q, MTV Portugal, Localvisão TV, Sporting TV e Kuriakos TV, o que se deve, em grande medida, a serem canais de produção própria”.

Relativamente à quota de 5% a preencher pelos serviços de programas generalistas, com difusão de obras criativas de produção independente europeias, originariamente em língua portuguesa, “esse valor foi amplamente ultrapassado pelos serviços de programas generalistas de acesso não condicionado livre”. A ERC aponta a SIC como o canal que apresentou o volume de horas mais elevado.

Já entre os operadores que oferecem serviços de televisão por subscrição, o regulador indica que, quanto à incorporação de obras de produção europeia nos catálogos dos serviços audiovisuais a pedido, “apenas a Nowo e a NOS integraram em catálogo uma percentagem superior a 30%”.

Apesar destes resultados, o organismo liderado por Sebastião Póvoas defende que as estratégias dos serviços de televisão lineares ficaram, em 2020, “limitadas pelos condicionalismos inerentes à produção, com repercussões na repetição de conteúdos e um forte pendor de conteúdos informativos nas linhas editoriais dos serviços de programas generalistas”.

“A pandemia influiu na programação dos canais generalistas em sinal aberto (RTP 1,RTP 2, SIC e TVI) que exibiram linhas de programação de perfis uniformes, continuando o segundo serviço de programas do operador público a orientar a sua produção para conteúdos no género culturais/conhecimento e com uma acentuada dimensão de produção europeia”, lê-se.

Fonte:https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/erc-abre-processo-de-contraordenacao-contra-a-rtp-761975

falcao gosta desta mensagem

LFTV
LFTV
Nível 2
Mensagens : 6499
Pontos : 6583
Data de inscrição : 23/03/2013
https://novelassic.blogs.sapo.pt/

Notícias RTP Empty Re: Notícias RTP

Dom Jul 25, 2021 12:03 am

Altice processa Câmara de Ponte da Barca por chamadas de valor acrescentado de 85 mil euros

Em causa estão ligações telefónicas realizadas, em setembro 2020, durante o concurso "7 Maravilhas de Portugal", transmitido pela RTP, e em que a Romaria de São Bartolomeu, em Ponte da Barca, foi eleita uma das 7 Maravilhas da Cultura Popular

https://tvi24.iol.pt/sociedade/7-maravilhas-da-cultura-popular/altice-processa-camara-de-ponte-da-barca-por-chamadas-de-valor-acrescentado-de-85-mil-euros?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=ed-tvi24

falcao gosta desta mensagem

dailyandreia
dailyandreia
Nível 2
Sexo : Feminino
Mensagens : 7296
Pontos : 7408
Data de inscrição : 13/01/2019
Idade : 20
Localização : Aqui

Notícias RTP Empty Re: Notícias RTP

Qua Jul 28, 2021 12:07 pm
LFTV escreveu:
ERC abre processo de contraordenação contra a RTP
Entidade Reguladora para a Comunicação Social abriu um processo contraordenacional contra o operador de televisão pública por este não ter garantido, pelo quarto ano consecutivo, as quotas de programas em língua portuguesa e de obras criativas nacionais na RTP 2.

[Tens de ter uma conta e sessão iniciada para poderes visualizar esta imagem]
A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) abriu um processo de contraordenação contra a RTP, porque a estação pública não garante as quota de programa em língua portuguesa, nem de obras criativas, na RTP 2 desde 2017, foi esta terça-feira anunciado.

A decisão da ERC foi tomada no âmbito do relatório “Produção Audiovisual nos Serviços de Programas Televisivos em 2020”, divulgado esta terça-feira e que reúne informação sobre o modo como os serviços de programas dos operadores de televisão portugueses cumprem as obrigações de defesa da língua portuguesa, produção europeia e produção independente.

De acordo com a Lei da Televisão e dos Serviços Audiovisuais a Pedido (LTSAP), as televisões nacionais têm de respeitar critérios que pressupõem a defesa da língua portuguesa, a promoção de produção europeia e produção independente. Por exemplo, a LTSAP que “[o]s serviços de programas televisivos de cobertura nacional, com exceção daqueles cuja natureza e temática a tal se opuserem, devem dedicar pelo menos 50% das suas emissões, com exclusão do tempo consagrado à publicidade, televenda e teletexto, à difusão de programas originariamente em língua portuguesa”. Acresce a obrigação de, pelo menos, 20% “do tempo das suas emissões” ser dedicado à “difusão de obras criativas de produção originariamente em língua portuguesa”.

Ora, de acordo com a ERC, a RTP não respeita os critérios há quatro anos consecutivos no chamado canal 2. Por isso, o regulador dos media fez saber que se tem verificado, “desde 2017, irregularidades no cumprimento das obrigações constantes no serviço de programas RTP 2”.

A ERC alega que avisou a RTP para a necessidade de cumprir os critérios exigidos por lei. Mas, tendo em conta o desrespeito das quotas de programas em língua portuguesa e de obras criativas, o Conselho Regulador da ERC deliberou notificar a RTP, “com fundamento no incumprimento das percentagens dedicadas à difusão de programas originariamente em língua portuguesa e de obras criativas originariamente em língua portuguesa, relativamente à emissão do ano de 2020 [o último em análise], no serviço de programas RTP 2”.

Produção Audiovisual nos Serviços de Programas Televisivos: dados de 2020 aproximam-se dos níveis de 2019

A decisão regulatória sobre a RTP foi tomada com base no estudo “Produção Audiovisual nos Serviços de Programas Televisivos em 2020”, que, não obstante, conclui que os dados apurados em 2020 confirmam a “tendência de cumprimentos da exibição de programas originariamente em língua portuguesa”. A conclusão de 2020 “aproximou-se à registada em 2019”.

Nos serviços de programas temáticos da SIC, a ERC “observou descidas de produção originariamente em língua portuguesa, sendo as mais relevantes na SIC Mulher e na SIC K, aquém da quota mínima”. Nos demais serviços de programas “continuam a registar-se percentagens bastante baixas nos serviços de programas temáticos de cinema e infantis/juvenis, os quais baixaram a quota de programas em língua portuguesa, à exceção do Biggs, que subiu o percentual, ainda assim ficando aquém da quota prevista”.

Segundo a ERC, são os canais onde a temática central são cinema e séries que “continuam a revelar percentuais residuais e sem grandes oscilações face a 2019”.

O regulador nota, contudo, que o serviço de programas generalista CMTV, com 32,28%, “ultrapassou a quota mínima de obras criativas em língua portuguesa, o que acontece pela primeira vez desde o início da atividade”.

No último ano, dos 47 serviços de programas avaliados 33 “incorporaram uma percentagem maioritária de obras de produção europeia”, com a ERC a salientar que os “restantes não atingiram esta percentagem, em grande parte, pela natureza específica dos serviços temáticos”.

“O mesmo se aplica nas obrigações de produção independe recente, cuja quota de 10 %, não é alcançada em 21 serviços de programas, nomeadamente os temáticos de cinema e séries, dada a programação ser predominantemente de origem norte-americana”, lê-se.

O regulador dos media destaca também a “inexistência de programação de produção europeia independente nos serviços de programas, SPORT TV+, Q, MTV Portugal, Localvisão TV, Sporting TV e Kuriakos TV, o que se deve, em grande medida, a serem canais de produção própria”.

Relativamente à quota de 5% a preencher pelos serviços de programas generalistas, com difusão de obras criativas de produção independente europeias, originariamente em língua portuguesa, “esse valor foi amplamente ultrapassado pelos serviços de programas generalistas de acesso não condicionado livre”. A ERC aponta a SIC como o canal que apresentou o volume de horas mais elevado.

Já entre os operadores que oferecem serviços de televisão por subscrição, o regulador indica que, quanto à incorporação de obras de produção europeia nos catálogos dos serviços audiovisuais a pedido, “apenas a Nowo e a NOS integraram em catálogo uma percentagem superior a 30%”.

Apesar destes resultados, o organismo liderado por Sebastião Póvoas defende que as estratégias dos serviços de televisão lineares ficaram, em 2020, “limitadas pelos condicionalismos inerentes à produção, com repercussões na repetição de conteúdos e um forte pendor de conteúdos informativos nas linhas editoriais dos serviços de programas generalistas”.

“A pandemia influiu na programação dos canais generalistas em sinal aberto (RTP 1,RTP 2, SIC e TVI) que exibiram linhas de programação de perfis uniformes, continuando o segundo serviço de programas do operador público a orientar a sua produção para conteúdos no género culturais/conhecimento e com uma acentuada dimensão de produção europeia”, lê-se.

Fonte:https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/erc-abre-processo-de-contraordenacao-contra-a-rtp-761975
Não percebi nada.

falcao gosta desta mensagem

Conteúdo patrocinado

Notícias RTP Empty Re: Notícias RTP

Ir para o topo
Permissões neste fórum
Você não pode responder aos tópicos